quinta-feira, 31 de julho de 2014

AGOSTO DE 2014 – UM MÊS UNIVERSAL 15/6 EM UM ANO UNIVERSAL 7

O mês universal é influenciado pelo ano universal, mas cada mês mostra um aspecto diferente do ano descrevendo as tendências e influências gerais.
 
Julho foi um mês onde tivemos eventos inesperados que exigiram flexibilidade e versatilidade, tanto física quanto mental. A energia 14/5 também diz respeito as questões de surgimento da vida e seu lado sombra nos mostrou a outra face dessa Vida. Foi um mês que, com o 5 sendo uma representação da condição humana, nos trouxe emoções e perdas. A Morte esteve sempre perto... e talvez não vá embora tão rapidamente...

Enfim... 


Com sua ênfase na casa, família e serviço comunitário, Agosto, Mês Universal 15/6, pode ser um mês em que estes conceitos recebam maior atenção, tanto em nível pessoal quanto global. Este é um mês em que as pessoas podem ser obrigadas a mostrar um maior grau de responsabilidade em suas casas, empregos, comunidades e suas relações com o outro. A energia 6 do mês pode trazer melhorias contínuas em questões relacionadas com a economia e as finanças e pode haver uma maior ênfase no materialismo.

O dinheiro pode fluir mais facilmente do que tem acontecido e poderemos ver melhorias gerais em várias facetas da vida. Este é um tempo para resolver problemas e criar um maior equilíbrio, especialmente em questões em torno da casa, família, saúde e educação. Aliás, uma maior ênfase em assuntos domésticos e da comunidade pode trazer um foco maior em nível local e nacional em torno de questões que afetam a todos.

Pessoas e instituições podem descobrir que, fazendo mudanças radicais no estilo de vida, oportunidades que resultem em mudanças há muito defendidas e aceitas como certas podem, enfim, prosperar. Novas ideias e conceitos podem criar um abrandamento das tensões, bem como uma dissipação de velhos medos. Com isso em mente, é importante que os indivíduos olhem além da superfície das coisas para melhor compreender o que eles estão observando. Um nível de discernimento irá percorrer um longo caminho no fornecimento de entendimentos mais profundos que podem criar raiz, proporcionando um conhecimento interior mais profundo.

O lado negativo da energia 15/6 pode levar a um aumento na desonestidade, fraude e irresponsabilidade, cabendo as pessoas prestar atenção, e concentrar-se nas áreas em que essas condições são predominantes. Agosto é um grande momento para a elevação da comunidade e da consciência nacional, o que pode resultar em uma maior compaixão e tolerância em áreas de virada ou discórdia. Mas também mais manifestações de insatisfação. Exigir a verdade daqueles que nos servem pode criar uma melhor compreensão e equilíbrio em áreas do governo e de negócios, especialmente nas áreas que afetam diretamente a vida doméstica e familiar.

Manutenção da ordem em todos os sistemas e correção das coisas que estão em necessidade de ajustamento ou reforma, também irá adicionar ao bem-estar geral e ao bem comum do povo. Pode ser necessária uma atenção especial nos campos da medicina e da saúde. Outro tema que poderia exigir maior atenção e preocupação são as questões relacionadas com a alimentação e fornecimento de alimentos. É possível que o debate contínuo sobre OGM (organismos geneticamentes modificados), alimentos orgânicos e o controle de nossas fontes de alimento por um punhado de grandes corporações venha a avançar para o centro do palco. E não esqueçam da Água....

Em qualquer área de preocupação experimentada pelo indivíduo, seria vantajoso adicionar a sua voz para o diálogo. Individualmente podemos ser afogados... coletivamente possuímos um grande poder em pedir mais transparência e consideração aos nossos desejos. As pessoas devem aprender a canalizar as suas emoções sobre estes temas em comportamentos voltados para ações práticas, especialmente no apoio de nossos políticos em suas posições como sendo a nossa voz nesse processo.

Levando em conta que 2014 é um Ano Universal 7, a energia do 15/6 se mescla trazendo uma maior necessidade de pro­porcionar ao indivíduo essas oportunidades de produzir resultados tangíveis. Todos nós devemos ter em mente a imagem maior de uma comunidade global e trabalhar para a melhoria das condições para todos, onde quer que vivam.

Trabalhar em vez de conversar sobre o que poderia e deveria ser feito. 
Ser eficaz, meticu­loso e escrupuloso ao estabilizar as finanças. 
Organizar o tempo, não desperdiçar energia, e cumprir com os compromissos assumidos.



As tendências acima são baseadas em influências globais. No entanto, cada um, com base em seus próprios dados de nascimento, têm influências pessoais em vigor a cada mês e ano.
Para quem desejar saber o que seu Mês Pessoal e Ano Pessoal tem a dizer basta encomendar uma análise personalizada mandando mensagem em Khrestérion.

 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

O Calendário das 13 Luas e o Dia Fora do Tempo



Alguns acreditam que os Maias identificaram o aspecto energético e espiritual do tempo de cada dia e codificaram isso em seus calendários...

Como outras civilizações antigas, os maias sacralizavam os conhecimentos de astronomia, matemática e escrita, sendo estas de função dos sacerdotes e letrados cujos registros se cristalizaram no sistema de calendários.

A grande importância dada pelos maias à medição do tempo decorre da concepção que tinham de que tempo e espaço, em verdade, se tratam de uma só coisa e que flui não linearmente, como na convenção europeia ocidental, mas circularmente, isto é, em ciclos repetitivos. O conceito chama-se Najt e é representado graficamente por uma espiral.



O calendário haab tinha seu uso mais afeto às atividades agrícolas, notadamente na prescrição das datas de plantio, colheita, tratos culturais e previsão dos fenômenos meteorológicos. Era o calendário das coisas e das plantas. Já o calendário tzolkin era usado para as funções religiosas em função do qual se marcavam as cerimônias, se fazia a adivinhação das pessoas e se encontravam as datas propícias para seus atos civis.

José Argüelles[i], professor de estética e história da arte norte americano, se sentiu atraído ao estudo da cultura Maia, mais precisamente pelo seu calendário sagrado, o Tzolkin.


Segundo Argüelles, aquilo a que se chama "calendário Maia" é um sistema de sincronização de ciclos terrestres, solares, interplanetários e galácticos de uma forma fractal e que utiliza por base um padrão ou proporção unicamente matemática a que se chama a freqüência 13:20.

Treze se referindo às 13 lunações anuais (13 x 28 = 364). Como o mês lunar tem 28 dias, multiplicado por 20 (base) resulta em período próximo ao ciclo ovariano da reprodução humana.


“O que propomos que se adote em vez do Calendário Gregoriano é o Calendário das 13 Luas/28 dias. Este é um verdadeiro “sincronômetro” perfeitamente harmonioso – cada mês, ou melhor, lua, tem exatamente 28 dias, quatro semanas perfeitas de 7 dias, treze vezes por ano. Isto perfaz uma soma de 364 dias ou 52 semanas perfeitas. Cada mês é um espelho perfeito de cada mês. Assim, este calendário 13 luas/28 dias é um padrão de medida perfeita. O último dia – o 365 – não á um dia de semana nem de lua, e por isso, chama-se a este dia, o dia fora do tempo, e corresponde à data gregoriana de 25 de Julho. Neste dia há festivais mundiais para celebrar "o tempo é arte" e para o perdão universal.”
“Pelo contrário, o calendário gregoriano não tem padrão – é uma coleção de 12 meses irregulares em duração, com nomes irracionais, onde as semanas não correspondem à duração dos meses. Esta confabulação não científica, que aceitamos como um dogma, cria uma confusão no inconsciente coletivo, e por conseqüência este calendário, programa a sociedade com valores não harmônicos e irracionais.”
“O calendário das 13 luas baseia-se num dos 17 calendários maia, o Tun Uk, e sincroniza-se com a medida 13:20, tzolkin ou módulo harmônico. Mas o calendário das 13 luas não é um dos calendário maia. É um calendário universal. Por exemplo, por mais de 5.500 anos, os indígenas dos Andes utilizavam um calendário 13 luas/28 dias e também os druidas de Inglaterra, entre outros. É pela sua universalidade que os próprios reformistas do calendário o preferem.”
“Finalmente, outro ponto importante. O calendário das 13 luas toma como o seu Ano Novo um dia que corresponde ao dia 26 de Julho. No passado, para os egípcios e maias, se celebrava este dia porque neste dia se produzia a conjunção da grande estrela Sírio e o Sol nascente. Portanto, este dia reporta-se a um fato cósmico pelo qual o Calendário das 13 luas que utilizamos hoje é também uma parte integral de uma nova revelação do tempo a que se chama "Encantamento do Sonho". Por esta razão, não devemos confundi-lo com o Calendário Maia tradicional, porque o Calendário das 13 luas tem por propósito uma demonstração da ordem sincrônica da 4ª dimensão, ou seja, uma revelação da Lei do Tempo.”

 O Dia Fora do Tempo manifesta uma maior conexão com a Essência Geradora de Vida.

Os antigos tinham conhecimento que a Lunação não dura exatamente 28 dias, então o dia extra no ano solar significa que “os meses do calendário estão em fase com a Lua Nova somente uma vez a cada 21 anos, o que se chama o Grande Ano Lunar”. Os últimos Grandes Anos Lunares aconteceram em 1951, 1972, 1993, e agora em 2014.
 







[i] Joseph Anthony Arguelles, também conhecido como Valum Votan, nasceu no Estado de Minnesota, Estados Unidos, e viveu seus primeiros cinco anos de vida na cidade do México, mudando-se para a Califórnia no final da Segunda Guerra.
Formado pela Universidade de Chicago, recebeu bacharelado na Arte Liberal e fez mestrado de História da Arte. Recebeu o título de Ph.D. em História da Arte e Estética na Universidade de Chicago, além de estudar História da Arte em Paris.
Como estudante do Chogyam Trumgpa Rinpoche, freqüentou o Primeiro Seminário Norte-Americano Vajrayana em Jackson Hole, Wyoming.
José Argüelles, como preferia ser chamado, era ativista para a Paz e a Transformação da Consciência Planetária. Com sua esposa Lloydine, fundou a Rede de Arte Planetária, em 1983, promovendo a arte como o fundamento da paz global, dedicando-se a reativar o Pacto de Paz e a Bandeira da Paz de Nicholas Roerich.
O autor ainda possui vários livros publicados em todo o mundo e nos mais diversos idiomas.
Faleceu em 23 de março de 2011



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem sou

Minha foto

Descobri cedo o caminho do autoconhecimento e a partir da adolescência direcionei o foco dos meus estudos para essa autodescoberta. Dissequei a mim mesma em busca de respostas estudando diversas matérias, que entendi serem totalmente interligadas.
Com a Arithmologia venho me aprofundando em técnicas de respiração, meditação, cromoterapia, cinesiologia, e tecnologia espiritual. Desenvolvi a Arithmognose Terapêutica: o cuidado consigo e com os outros, através do conhecimento e essência dos Arithmos (números) pessoais.
Graduada em Direito, mas trabalhando com Consultoria, Coaching e Aconselhamento Metafísico a distância, tenho como objetivo esclarecer e motivar o cliente/coachee para que este possa perceber e/ou experimentar uma conscientização das potencialidades inerentes em si que repercutem diretamente em suas ações.

Google+ Followers

Seguidores