segunda-feira, 13 de novembro de 2017

I Ching - Hexagrama 38: K'uei - Oposição



Imagem de Adele Aldridge

Este hexagrama implica um empate, um impasse ou um beco sem saída. Forças opostas levam a atividade à paralisação.
Estas forças opostas que você encontra podem ser as ações ou opiniões de outros, ou podem ser próprias. Uma luta interna pode ter levado você a um ponto em que o movimento é impossível.
Este é um momento para identificar uma visão mais alta para você. Olhe para ver quem compartilha sua visão e quem não, quem está alinhado com sua causa e quem não está.
Esta é uma oportunidade para avaliar e decidir sobre as orientações para futuros movimentos. O primeiro passo para lidar com a oposição é identificá-la. Este é um tempo para buscar orientação e conselhos de uma pessoa sábia, alguém com maior experiência ou uma equipe inteira. Este pode, também, ser um tempo para buscar apoio e se libertar do isolamento.
Lembre-se, pedir ajuda é um sinal de força e não de fraqueza.
**********************************
OPOSIÇÃO
 
Este hexagrama se compõe do trigrama superior Li, a chama que arde tendendo para o alto, e do trigrama Tui, o lago, que flui para baixo. Estes movimentos são antagônicos. Além disso, Li é a segunda filha e Tui, a filha mais moça. Apesar de habitarem a mesma casa, pertencem a homens diferentes; por isso suas vontades divergem e buscam objetivos em direções opostas.




JULGAMENTO

OPOSIÇÃO. Em pequenas coisas, boa fortuna.

Quando as pessoas vivem em oposição e distanciadas umas das outras, não podem levar a cabo um grande empreendimento em comum. Seus pontos de vista divergem demais. Em tais circunstâncias, é sobretudo importante que não se proceda de maneira brusca, pois isto só agravaria a oposição. A ação deve se restringir a uma influência gradual em aspectos menores. Aqui, ainda se pode esperar um sucesso, pois trata-se de uma situação em que a oposição não exclui por completo a possibilidade de um entendimento.
Em geral a oposição aparece como um obstáculo, mas quando ela representa polaridades contrárias no interior de um todo que as engloba, tem uma função benéfica e importante. As oposições entre o céu e a terra, o espírito e a natureza, entre o homem e a mulher, promovem a criação e a multiplicação da vida quando se descobre serem as diferenças complementares entre si. No plano das coisas visíveis, a oposição possibilita a diferenciação em categorias, pela qual se estabelece a ordem no mundo.

IMAGEM

Acima o fogo, abaixo o lago: a imagem da OPOSIÇÃO.
Assim, o homem superior mantém sua individualidade
em meio à comunidade.

Os dois elementos, fogo e água, mesmo quando estão juntos, nunca se misturam, porém, conservam sua natureza própria. Do mesmo modo, o homem superior também nunca se deixa levar à vulgaridade em virtude do convívio e de interesses comuns com pessoas de índole diversa da sua. Apesar de toda a proximidade, ele sempre preservará sua individualidade.

LINHAS

Nove na primeira posição significa:
O arrependimento desaparece.
Se você perde seu cavalo, não corra atrás dele.
Ele voltará por si mesmo.
Quando você encontrar pessoas más,
acautele-se contra erros.

Mesmo em épocas de oposição é possível agir de modo a evitar erros, de forma que o arrependimento desapareça. Quando a oposição surge, não se deve tentar forçar a união; procedendo assim o resultado seria, sem dúvida, c contrário, tal como um cavalo se afasta cada vez mais quando é perseguido. Se o cavalo é nosso, podemos deixá-lo seguir tranquilamente, pois voltará sozinho. Do mesmo modo, quando um homem ligado a nós se afasta como consequência de um mal-entendido, voltará espontaneamente se o deixarmos agir em liberdade. Por outro lado, devemos ser cautelosos quando pessoas maldosas que não pertencem ao nosso meio forçam sua presença – também como consequência de um mal-entendido. O importante aqui é evitar erros: não se deve pretender afastá-los com violência, pois isso intensificaria ainda mais a hostilidade. Ao contrário, é necessário simplesmente tolerá-los, pois com o tempo se retirarão por sua própria iniciativa.

Nove na segunda posição significa:
Ele encontra seu senhor numa rua estreita.
Nenhuma culpa.

Em virtude de desentendimentos tornou-se impossível a pessoas cujas naturezas se correspondem aproximarem-se da maneira correta. Neste caso, um encontro casual, em condições informais, também é aceitável, desde que haja uma afinidade interna.

Seis na terceira posição significa:
Alguém vê a carroça sendo arrastada para trás,
os bois detidos,
cortados o cabelo e o nariz de um homem.
Nenhum bom começo, mas um bom final.

Às vezes parece que tudo está contra um homem. Ele se vê barrado e detido em seu progresso, sente-se insultado e ferido. Mas ele não deve se deixar confundir. Apesar de toda a oposição, é preciso que se mantenha firmemente unido àquele com quem possui afinidade. Apesar do mau começo, ao final tudo acabará bem.

Nove na quarta posição significa:
Isolado através da oposição.
Ele encontra um homem que lhe é semelhante em natureza,
com o qual pode estabelecer um relacionamento leal.
Apesar do perigo, nenhuma culpa.

Quando um homem se encontra em companhia de alguém de quem se vê separado por uma oposição interna, isso o conduz ao isolamento. Mas se nesta situação ele encontra um homem que em sua essência, em suas bases, lhe corresponde, em quem pode depositar total confiança, ele supera todo o perigo do isolamento. Sua vontade será bem-sucedida e ele livra-se de erros.

Seis na quinta posição significa:
O arrependimento desaparece.
O companheiro abre seu caminho, rompendo o que o envolve.
Se fôssemos a seu encontro, como poderia isso ser um erro?

Um homem leal é encontrado, mas a princípio não é reconhecido como tal devido ao isolamento reinante. Mas ele abre seu caminho, rompendo o que o envolve e separa. Quando um companheiro se revela em toda sua essência, é nosso dever ir ao seu encontro e colaborarmos com ele.

Nove na sexta posição significa:
Isolado em virtude da oposição,
vemos nosso companheiro como um porco enlameado,
como uma carroça cheia de diabos.
Primeiro distendemos o arco em sua direção,
depois deixamos o arco de lado.
Ele não é um ladrão, no momento devido irá cortejar.
Enquanto se segue adiante a chuva cai;
depois vem a boa fortuna.

Aqui há isolamento em virtude de desentendimentos. Ele é provocado por condições internas e não por circunstâncias externas. Um homem desconfia de seus melhores amigos, considerando-os impuros como porcos enlameados e perigosos como uma carroça cheia de diabos. Ele se coloca na defensiva. Mas, ao final, reconhece seu erro, deixa o arco de lado e percebe que o outro vem com as melhores intenções, buscando uma estreita união. Assim a tensão se dissolve. A união põe fim ao antagonismo, assim como a chuva provoca o alívio da atmosfera sufocante que precede a tempestade. Tudo vai bem, pois a oposição, ao atingir sua culminância, transforma-se no seu contrário.

Fonte: I Ching, o Livro das Mutações – Richard Wilhelm 

Bem vindo. Seja um assinante e receba as novidades em primeiro lugar.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse blog é ligado a

Quem sou

Minha foto

Descobri cedo o caminho do autoconhecimento e a partir da adolescência direcionei o foco dos meus estudos para essa autodescoberta. Dissequei a mim mesma em busca de respostas estudando diversas matérias, que entendi serem totalmente interligadas.
Com a Arithmologia venho me aprofundando em técnicas de respiração, meditação, cromoterapia, cinesiologia, e tecnologia espiritual. Desenvolvi a Arithmognose Terapêutica: o cuidado consigo e com os outros, através do conhecimento e essência dos Arithmos (números) pessoais.
Graduada em Direito, mas trabalhando com Consultoria, Coaching e Aconselhamento Metafísico a distância, tenho como objetivo esclarecer e motivar o cliente/coachee para que este possa perceber e/ou experimentar uma conscientização das potencialidades inerentes em si que repercutem diretamente em suas ações.

Google+ Followers

Direitos de Autoria

Os textos deste blog têm autoria.

Caso queira fazer uso, por favor, cite a fonte.

Obrigado!