segunda-feira, 22 de maio de 2017

I Ching – Hexagrama 34: Ta Chuang - O Poder Do Grande

Imagem de Adele Aldridge


Como se o trovão e o relâmpago fossem seus aliados, este hexagrama implica grande força. Este é um momento para chamar a sua determinação e sentir a sua própria fortaleza.
Confie no seu ímpeto e sua reputação vai crescer.
Preste atenção aos detalhes e siga com suas intenções, projetos e ideias.
Novos aliados aparecerão à medida que você estender sua influência em terras inexploradas. Soluções úteis virão a você. Deixe sua visão e propósito mais elevado serem sua bússola.
Neste hexagrama, existem dois significados a serem considerados:

  • O primeiro se refere ao poder que surge ao percebermos a maneira correta de prosseguir. 
  •  O segundo tem a ver com o poder roubado, assumido ou interceptado.

Evite o abuso do poder. O uso incorreto do poder gera reações ruins que durarão muito tempo, mas que podem até ser desfeitas se retornamos à sinceridade e humildade de antes.
Não há maior poder do que o conhecimento, sobre nós e os outros.
********************** 
O Poder do Grande



As linhas grandes, isto é, luminosas e fortes, são poderosas. Quatro linhas luminosas ingressaram embaixo no hexagrama e vêm a ascender. O trigrama superior é Chên, o Incitar; o inferior é Ch’ien, o Criativo. O Criativo é forte, o Incitar provoca o movimento. O sentido de PODER DO GRANDE resulta da união do movimento com a força. Este hexagrama é associado ao segundo mês (março-abril).








JULGAMENTO

O PODER DO GRANDE. A perseverança é favorável.

Este hexagrama indica uma época em que os valores internos ascendem vigorosamente e alcançam o poder. Mas a força já ultrapassou a linha mediana e por isso se corre o perigo de confiar inteiramente no seu próprio poder sem se preocupar com o que é correto. Há também o risco de se pôr em movimento sem esperar o momento adequado. Por isso, acrescenta-se a frase: “a perseverança é favorável”. Pois o poder verdadeiramente grande não degenera em mera violência, mas permanece internamente ligado aos princípios do bem e da justiça. Quando se compreende que a grandeza e a justiça devem estar inseparavelmente unidas, então se poderá compreender o verdadeiro sentido de tudo o que ocorre no céu e na terra.

IMAGEM

O trovão acima, no céu: a imagem do PODER DO GRANDE.
Assim o homem superior não trilha caminhos
que não estão de acordo com a ordem vigente.

O trovão, a energia elétrica, ascende na primavera. Este movimento está em harmonia com a direção do movimento celeste e, assim, coincidindo com o céu, produz grande poder. Porém, a verdadeira grandeza consiste na harmonia com o bem. Por isso o homem superior, em épocas de grande poder, evita toda iniciativa que não esteja de acordo com a ordem reinante.

LINHAS

Nove na primeira posição significa:
Poder nos dedos dos pés.
Prosseguir traz infortúnio.
Isto é, sem dúvida, verdadeiro.

Os dedos dos pés estão no ponto mais baixo e estão dispostos a avançar. Do mesmo modo, o grande poder, numa posição inferior, tende a forçar violentamente o progresso. Mas se essa atitude for levada adiante, certamente conduzirá ao infortúnio. Por isso, como conselho, acrescentou-se uma advertência.

Nove na segunda posição significa:
A perseverança traz boa fortuna.

A premissa aqui é de que as portas do sucesso começam a se abrir. 
A resistência começa a ceder e há um avanço poderoso. Este é o ponto em que facilmente pode surgir uma excessiva e arrogante autoconfiança. Por isso o oráculo diz que a perseverança – isto é, a perseverança no equilíbrio interno, sem o uso excessivo do poder — traz boa fortuna.

Nove na terceira posição significa:
O homem inferior age através do poder.
O homem superior não age assim.
É perigoso continuar.
Um bode arremete contra uma cerca e prende seus chifres.

Aquele que exibe seu poder acaba por se enredar em dificuldades assim como um bode enreda seus chifres ao arremeter contra uma cerca. O homem inferior aproveita-se do poder, de modo exibicionista, enquanto está de posse dele. O homem superior não procede assim. Ele permanece consciente do perigo implicado em tal arremetida intempestiva e renuncia em tempo a essa mera exibição de poder.

Nove na quarta posição significa:
A perseverança traz boa fortuna.
O arrependimento desaparece.
Abre-se a cerca, e não há nenhum emaranhamento.
O poder se apoia no eixo de um grande carro.

Se um homem trabalha com perseverança e tranquilidade na superação de obstáculos, ao final alcançará sucesso. Os obstáculos cedem, e desaparece todo motivo de arrependimento em virtude do uso abusivo do poder. Aqui o poder de um homem não se mostra externamente, mas é capaz de mover pesadas cargas assim como um carro grande, cuja força está nos eixos. Quanto menos ele utilizar o poder externamente, tanto maior será seu efeito.

Seis na quinta posição significa:
O bode se solta com facilidade.
Nenhum arrependimento.

O bode caracteriza-se pela rigidez externa aliada à fraqueza interna. A situação apresenta uma configuração em que tudo é fácil, não havendo qualquer resistência. Pode-se, então, abandonar as tendências à beligerância e à teimosia, sem qualquer risco de arrependimento.

Seis na sexta posição significa:
Um bode arremete contra uma cerca.
Não pode ir nem para diante nem para trás.
Nada é favorável.
Se o homem nota a dificuldade, isso traz boa fortuna.

Se alguém se aventura longe demais, chega a um impasse em que não pode nem avançar nem recuar, e tudo o que fizer apenas aumentará a complicação. Uma tal teimosia leva a dificuldades insuperáveis. Se a pessoa reconhecer sua situação, desistir de continuar numa atitude obstinada e se tranquilizar, então, com o tempo, tudo voltará à normalidade.

Fonte: I Ching, o Livro das Mutações – Richard Wilhelm

sexta-feira, 12 de maio de 2017

I Ching – Hexagrama 17: Sui – Seguir



Imagem de Adele Aldridge
O ato de "seguir" é muitas vezes visto como um estado inferior de "liderar". Mas liderança requer conhecimento e conhecimento é adquirido por seguir aqueles que são experientes e grandes. Não há vergonha em seguir alguém que tem conhecimento, pois assim a liderança é aperfeiçoada. A fim de liderar é preciso saber o que segue. Para seguir bem é preciso estar focado na liderança. Um seguidor fraco é aquele que segue sem ambição. Um líder fraco é aquele que lidera sem um conhecimento do seguir.

Seja fiel aos próprios valores e as portas do Destino se abrirão naturalmente.
 
********************************************


O trigrama Tui, cujo atributo é a alegria, está acima; o incitar, cujo atributo é o movimento, está abaixo. A alegria no movimento induz a seguir. A alegria é a filha mais moça, enquanto que o incitar é o filho mais velho. Um homem mais velho reverencia uma jovem, demonstrando-lhe consideração. Isso faz com que ela o acompanhe.








JULGAMENTO

SEGUIR tem sublime sucesso.
A perseverança é favorável. Nenhuma culpa.
Para alguém chegar a se fazer acompanhar é preciso primeiro saber adaptar-se. O homem que deve comandar precisa primeiro aprender a servir. Só assim conseguirá despertar o apoio alegre de seus subalternos, o que é necessário para que eles o acompanhem. O homem que força a que o sigam, recorrendo à astúcia ou à violência, a intrigas ou criando facções, sempre encontrará resistência que impedirá que o acompanhem de forma espontânea. Porém, mesmo o movimento alegre pode levar a resultados maléficos. Por isso o texto do Julgamento acrescenta a advertência: “A perseverança é favorável”, isto é, a constância no agir correto, e ainda “nenhuma culpa”. Um homem não deve pedir a outros que o sigam a não ser sob estas condições. Por isso também, elas são indispensáveis para que se possa seguir a outros sem risco de danos. A idéia de seguir adaptando-se às exigências do tempo é grandiosa e importante ; por isso o julgamento é tão favorável.

IMAGEM

O trovão no meio do lago: a imagem do SEGUIR.
Assim o homem superior recolhe-se, ao anoitecer,
para descansar e recuperar suas forças.
No outono a eletricidade se recolhe novamente à terra e entra em repouso. Aqui é o trovão no meio do lago, em seu repouso de inverno, que serve como imagem e não o trovão em movimento. É dessa imagem que surge a idéia de seguir, adaptando-se às exigências do tempo. O trovão no meio do lago sugere épocas de escuridão e repouso. Assim, o homem superior, depois de um dia de atividade incansável, busca o repouso durante.a noite de modo a recuperar suas forças. Para que uma situação se torne favorável é necessário saber adaptar-se a ela, evitando-se, assim, o desgaste provocado por uma resistência errônea.

LINHAS

Nove na primeira posição significa:
O padrão está se modificando. A perseverança
traz boa fortuna.

Sair acompanhado pela porta afora leva a realizações.
Há condições excepcionais nas quais se modifica a relação entre o líder e seus seguidores. Está implícita na idéia de seguir e adaptar-se a noção de que, se alguém deseja liderar, deve permanecer acessível e sensível às opiniões dos subordinados. Ao mesmo tempo, porém, deve ter princípios firmes, para não vacilar quando se tratar apenas de modismos. Quando se está preparado para ouvir a opinião alheia, não se deve procurar apenas a companhia daqueles que compartilham dos mesmos pontos de vista ou que pertencem à mesma facção. É preciso sair para lidar livremente com homens de toda espécie, amigos ou inimigos. Só assim se realizará alguma coisa.

Seis na segunda posição significa:
Ligando-se ao pequeno menino,
perde-se o homem forte.

Um homem deve escolher cuidadosamente suas amizades e relações mais íntimas. Ou ele se cerca de boa ou de má companhia; não pode ter ambas ao mesmo tempo. Quem se corrompe, unindo-se a pessoas indignas, perde o contato com as pessoas espiritualmente elevadas, que o estimulariam ao bem.

Seis na terceira posição significa:
Ligando-se ao homem forte,
perde-se o pequeno menino.
Através do seguir encontra-se o que se busca.
É favorável permanecer perseverante.

Quando se estabelecem vínculos corretos com pessoas de valor, isso traz naturalmente uma certa perda. O homem deve afastar-se do que é inferior e superficial. Porém, em seu interior, ele está satisfeito por encontrar o que procurava e precisava para o desenvolvimento da sua personalidade. O importante é permanecer firme. Ele precisa saber o que quer, não permitindo que tendências momentâneas o desviem.

Nove na quarta posição significa:
O seguir cria sucesso.
A perseverança traz infortúnio.
Trilhar seu caminho com sinceridade traz esclarecimento.

Como poderia haver culpa nisso?
Quando alguém que exerce influência se mostra condescendente com os que estão abaixo, freqüentemente encontra seguidores. Mas estes que a ele se unem não são movidos por intenções honestas. Procuram vantagens pessoais e tentam tornar-se indispensáveis, recorrendo à adulação e à subserviência. Quando alguém se habitua a estes seguidores a ponto de não poder prescindir deles, caminha para o infortúnio. Somente aquele que, tendo-se libertado de seu próprio ego, busca, por convicção, o que é verdadeiro e essencial, terá a clareza de visão necessária para perscrutar as reais intenções de tais pessoas. Assim não haverá culpa.

Nove na quinta posição significa:
Sincero no bem. Boa fortuna.

Todo homem precisa ter algo a que seguir, algo que lhe sirva de guia. Aquele que segue com convicção a beleza e a bondade deve sentir-se fortalecido por estas palavras.

Seis na sexta posição significa:
Ele encontra uma sólida fidelidade
e o leva a ligar-se ainda mais.
O rei o apresenta à Montanha do Oeste.

Isso se refere a um elevado sábio, um homem que já abandonou o tumulto do mundo. Mas ele encontra um seguidor que o compreende e que não deve ser recusado. O sábio volta então ao mundo e o ajuda em sua tarefa. Assim se desenvolve uma aliança eterna entre eles. Essa alegoria tem sua origem nos anais da dinastia Chou. Os governantes dessa dinastia honravam seus melhores seguidores concedendo-lhes um lugar no templo dos ancestrais da família real na Montanha do Oeste. Julgava-se assim que aqueles iriam então participar do destino da família real.

Fonte: I Ching, o Livro das Mutações – Richard Wilhelm
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem sou

Minha foto

Descobri cedo o caminho do autoconhecimento e a partir da adolescência direcionei o foco dos meus estudos para essa autodescoberta. Dissequei a mim mesma em busca de respostas estudando diversas matérias, que entendi serem totalmente interligadas.
Com a Arithmologia venho me aprofundando em técnicas de respiração, meditação, cromoterapia, cinesiologia, e tecnologia espiritual. Desenvolvi a Arithmognose Terapêutica: o cuidado consigo e com os outros, através do conhecimento e essência dos Arithmos (números) pessoais.
Graduada em Direito, mas trabalhando com Consultoria, Coaching e Aconselhamento Metafísico a distância, tenho como objetivo esclarecer e motivar o cliente/coachee para que este possa perceber e/ou experimentar uma conscientização das potencialidades inerentes em si que repercutem diretamente em suas ações.

Google+ Followers