segunda-feira, 15 de setembro de 2014

As Runas: Wyrd


Imagem de Anatoly Kudryavtsev©

O Destino 

Pronúncia: uírd

Significados Tradicionais: destino, fado, fatalidade 

Desafio: fé e coragem para encontrar seu destino 

Correspondências: 
Fonema: — 
Regência Planetária: Roda da Fortuna 
Pedra: Opala 
Flor: Íris Púrpura 
Número: — 
Classe Social: — 
Cor: — 
Mitos e Deidades: As Nornes 
Tarô: Roda da Fortuna 
Período do Dia: — 

Significados Gerais e Simbólicos: 

Muitos estudiosos e praticantes do Runemal não acreditam no uso da runa em branco. Contudo, há uma corrente inversa, que a utiliza como um 'sinal amarelo': para o praticante parar um pouco de usar as Runas e passar a vivenciar a espera, fora dos confins da divinação rúnica.

A runa em branco é chamada WYRD, que é o nome coletivo dado às Três Nornes, ou Deusas do Destino, da mitologia nórdica. Seus nomes individuais são Urd, Verthandi e Skuld, e elas representam os três aspectos do tempo sempre fluente: Passado, Presente e Futuro. Formam uma Trindade, para sempre se dissolvendo uma na outra. WYRD rege o Carma que cada um acumulou durante sua vida até o momento presente. 

Essa runa indica aqueles eventos que são predestinados ou inevitáveis, e dos quais não conseguimos nos esquivar. Mas não se pode confundir “destino” com “fatalidade”, porque há dois tipos de débito cármico, o agradável e o desagradável. Por isso não é necessário concluir de imediato que o aparecimento dessa runa anuncie uma punição cármica, mais do que um resgate cármico. WYRD significa que, se um certo passo for dado, a vida nunca mais será a mesma. Mas em qualquer evento, a runa em branco é ambígua, já que pode pressagiar tanto uma ocorrência desastrosa, como uma afortunada. Muito depende das runas acompanhantes, para que se possa julgar a vontade ou o anelo de se seguir um determinado curso de ação. 

Por exemplo, se WYRD cair com uma runa relacionada a romance, como GEBO, sugerirá que se está destinado a realizar uma união feliz, que é o resgate de um verdadeiro ou altruísta ato de amor em seu passado. Freqüentemente esse ato constitui a sublimação dos próprios sentimentos, de modo que o ser amado deve estar livre para compreender sua própria versão de felicidade. O que não deve ser entendido é que os protagonistas foram colocados juntos por um laço cármico, que foram feitos “um para o outro”, ou que “estiveram juntos numa vida passada”. Essas coisas acontecem, mas não com a freqüência que as pessoas gostariam de imaginar. 

WYRD, a runa em branco, o nosso destino e a nossa sorte, altera os padrões preestabelecidos, nos deixando a mercê das mudanças bruscas da vida, que tanto podem ser boas como ruins. Quando tiramos WYRD estamos nos aproximando de um daqueles momentos da vida onde a lei da mudança se aplica igualmente a todos os homens. Adapte-se ou pereça, é o que WYRD enfoca. Nossos medos, nossos fracassos, nossos desapontamentos e choques nas relações humanas — tudo aquilo que se destina a nos sacudir e libertar dos costumes aos quais nos agarramos tenazmente, de modo que possamos adotar e aceitar hábitos melhores de crescimento e beneficiarmo-nos deles. 

Visto que a runa em branco expressa aquelas coisas que estão predestinadas ou são inevitáveis, pode representar também qualquer coisa que precisa ser mantida em segredo ou permanecer indesvendada pelo nosso próprio bem. Do mesmo modo, WYRD simboliza aqueles incidentes relativos às vidas privadas de outras pessoas, sobre os quais não se tem o direito de ser curioso, ocupando, de ordinário, lugar proeminente em um lançamento rúnico onde se demanda acesso a informações sobre alguém que não nos diz respeito. 

WYRD representa a senda do Carma — a soma total dos atos de cada um e das conseqüências dos mesmos. Concomitantemente, ela ensina que as próprias dívidas do Carma antigo tomam outro rumo e evolvem, enquanto se segue também outro rumo e evolui. Nem tudo está fadado: os obstáculos do passado podem tornar-se os portais que conduzirão a novos começos.


Escrito originalmente por ©Fabrício César Franco em
http://parlenda.blogspot.com.br/2012/06/as-runas-wyrd.html
 Este trabalho possui uma Licença Creative Commons
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/

Bem vindo. Seja um assinante e receba as novidades em primeiro lugar.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse blog é ligado a

Quem sou

Minha foto

Descobri cedo o caminho do autoconhecimento e a partir da adolescência direcionei o foco dos meus estudos para essa autodescoberta. Dissequei a mim mesma em busca de respostas estudando diversas matérias, que entendi serem totalmente interligadas.
Com a Arithmologia venho me aprofundando em técnicas de respiração, meditação, cromoterapia, cinesiologia, e tecnologia espiritual. Desenvolvi a Arithmognose Terapêutica: o cuidado consigo e com os outros, através do conhecimento e essência dos Arithmos (números) pessoais.
Graduada em Direito, mas trabalhando com Consultoria, Coaching e Aconselhamento Metafísico a distância, tenho como objetivo esclarecer e motivar o cliente/coachee para que este possa perceber e/ou experimentar uma conscientização das potencialidades inerentes em si que repercutem diretamente em suas ações.

Google+ Followers

Direitos de Autoria

Os textos deste blog têm autoria.

Caso queira fazer uso, por favor, cite a fonte.

Obrigado!